Capela de S. Domingos

Intervir no património edificado é uma tarefa que requer sabedoria e cuidado, quando no caso de uma pequena capela local vivida pela população denota que a fronteira entre o antigo e o novo é sempre sentida de perto.

O projecto consiste na recuperação e reabilitação de uma capela setecentista situada numa pequena cidade do centro de Portugal, dedicada a S. Domingos e a Sto. Amaro.

Depois de um diagnóstico inicial e definição da intervenção, para a recuperação do edifício utilizaram-se as técnicas tradicionais de construção, tais como rebocos de cal interiores e exteriores, e o tratamento dos arranjos exteriores foi pensado para permitir a sua conservação no futuro, bem como dotar o edifício de acessibilidade universal.

A existência de um altar barroco tardio no seu interior ditou a proposta: considerou-se ampliar o espaço definindo a área que foi construída no séc. XX como capela lateral, dando-lhe unidade através duma forra em painéis brancos com iluminação embutida, e criando quatro novos altares para a colocação das figuras de devoção. No restante espaço, a iluminação foi embutida numa sanca perimetral capaz de espalhar luz por reflexo no tecto, este também em painéis de madeira.

Os materiais de acabamento são a madeira de carvalho tradicional (em pavimentos e nas forras de parede ou tecto), a pedra calcária local e o azulejo de lastra vidraço.

O mobiliário foi desenhado especificamente considerando conforto e bem-estar dos seus utilizadores, bem como o altar ou outros objectos de funcionalidade dedicada à oração.

A MAASTE orgulha-se de ter colaborado com o artista plástico Jorge Pé Curto na definição da nova porta lateral de acesso desta capela

+ voltar a projectos